Porque surgiu a ideia do Maestria?

Play this article

Eu comecei a trabalhar na área de desenvolvimento no ano de 2012, graças a uma oportunidade de estágio que eu recebi.

Diferente das outras empresas, naquela época principalmente, a Prime oferecia um treinamento de 6 meses antes de começar a por a mão na massa, então eu não precisava saber programar nada.

De lá para cá eu estudei muito, aprendi conceitos de arquitetura de sistemas, linguagens de programação diferentes, conceitos importantes de desenvolvimento web e muitas outras coisas que uma carreira técnica exige.

Mas foi apenas no ano de 2016, quando ingressei na Bluesoft que eu tomei consciência de que as habilidades técnicas que eu estava adquirindo não eram suficientes para ter uma carreira de sucesso.

Não se engane, não foi aquele momento mágico que você vê nos filmes nem nada parecido. Depois de alguns meses “complicados” e percebendo que algo não estava funcionando bem no time, durante uma retrospectiva, um amigo que trabalhava comigo (Kayan Godoy que merece a citação) disse o seguinte: “Então está claro que a gente não sabe dar feedback”.

Depois de ouvir isso, eu me comprometi com o time sobre estudar feedback, mas percebi que só aquilo não era suficiente, nem para a equipe, nem para mim.

As habilidades que eu vou falar você pode ouvir sendo faladas aos montes por ai, quase tão no hype como um dia esteve o React ou microservices.

Inteligência Emocional, Autoconhecimento, Criatividade, Visão Sistêmica e muitas outras. Assim como o React, elas não estão no hype sem motivo algum.

Depois de anos aprendendo sobre essas e muitas outras habilidades, e após um ano de 2020 cheio de oportunidades para colocar isso tudo em prática no nível mais hard que você possa imaginar, eu percebi que queria dividir o que eu aprendi com outras pessoas.

Nas empresas que eu trabalhei tive oportunidade de ensinar pessoas, contribuir verdadeiramente para o crescimento delas de maneira ativa e ver a formação de profissionais incríveis.

E vou aqui deixar alguns aprendizados que eu obtive nesse processo:

  • Ser um bom profissional não é só sobre habilidades técnicas. A maneira que você pensa e age vão fazer a diferença no curto e longo prazo.

  • Autoconhecimento te ajuda a ir mais longe e mais rápido. Você é sua melhor ferramenta, aprenda a tirar 100% dela.

  • Pergunte até entender! Não existe pergunta idiota.

  • Teoria e prática são essenciais. Se você investir só em um deles, vai ter dificuldade em algum momento.

  • Você pode ser 1% melhor todo dia. E é isso que vai te fazer ser excepcional no que faz. Não existe atalho, não cai nessa.

  • Pode ir, mesmo sem saber. Não saber algo não é problema, não é vergonha nenhuma. Problema é você não ter interesse em aprender, ou fingir que sabe.

  • Intensidade e intencionalidade no que você quer são essenciais. Essa área não é fácil, tem machismo, tem preconceito, tem gente que por conhecer mais acredita que pode ditar um monte de regras e tem uma série coisas que vão te cobrar mesmo que não seja hora ainda. Mas também tem muita gente disposta a te ajudar, muita oportunidade esperando você querer, mas querer de verdade. E um dia, você vai ser mais um disposto a trazer gente boa.

Eu criei o Maestria para buscar a excelência, junto de todos aqueles que tiverem algum interesse em buscar isso. Eu não tenho todas as respostas, tenho muitas perguntas, mas quando eu achar algo que posso compartilhar, vou falar por aqui.

Você pode me acompanhar nas seguintes redes:

Instagram, Youtube, Linkedin, Twitter

Se quiser, também pode marcar para batermos um papo ou me mandar uma mensagem com sugestões e comentários.

O importante é sempre ter em mente:

Ninguém nasce mestre, a gente busca ser um.

Grande abraço

ps: Toda segunda tem vídeo novo no canal, o de hoje é sobre a importância de dormir bem